Contatos:

Tel.: (21) 3864-5820

Whatsapp: (21) 98296-3569

Rio de Janeiro: Rua Dr Thibau, 80 - sala 104 - Centro, Nova Iguaçu - RJ

Região dos lagos: Rua Narciso Fernandes Portugal, 181 - Jardim Flamboyant, Cabo Frio - RJ

Mas se a humanidade parar de comer carne teremos gado andando pelas ruas aos montes?

Segundo relatório realizado pela FAO sobre o estado das florestas do Mundo: Entre 1990 e 2005, 71% do desmatamento na Argentina, Colômbia, Bolívia, Paraguai, Peru, Venezuela e Brasil foi devido a demanda de pastos.  No Brasil, mais de 80% do desmatamento estava ligado à conversão de terras em terrenos de pasto.

Fonte: Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, 2016).

Considerando todas as emissões da cadeia, desde os cultivos que viram ração animal até o transporte e varejo da carne processada, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação estima que o setor pecuário é responsável por 14,5% das emissões de gases do efeito estufa globais oriundas de atividades humanas (FAO, 2013).

Você sabia que de acordo com o IBGE (2017) temos 207 milhões de habitantes no Brasil, cerca de 215 milhões de cabeças de gado e mais de 1 bilhão de galináceos (2015) ?

Temos mais bovinos que humanos no País e cerca de 5 vezes mais galináceos que pessoas!

Todos estes animais consomem recursos ambientais para serem criados e como são muitos, as indústrias, em sua maioria, os mantém em confinamento, privando-os de sua liberdade e uma vida digna.

A conta do sustento destes animais á paga pelo meio ambiente e pela população, que perde em terras, água e preservação ambiental.

Ainda há muita preocupação sobre a integralidade das dietas vegetarianas, muitos temem não ter suas necessidades nutricionais atingidas ao excluir alimentos de origem animal de seu cardápio.

Essa é uma preocupação que não deveria se fundamentar apenas pela retirada de produtos animais da dieta, mas sim pelas escolhas alimentares que se faz, leve em consideração que qualquer padrão alimentar que se escolhe, seja ele com produtos animais ou não, pode te levar a carências nutricionais caso as escolhas que fizer na hora de suas refeições não sejam equilibradas nutricionalmente.

A alimentação vegetariana, quando bem planejada, é perfeitamente capaz de suprir todas as necessidades nutricionais de um indivíduo, tanto em proteínas como em minerais e vitaminas, há somente um nutriente que o vegetariano pode precisar suplementar que é a vitamina B12, mas a verdade é que a deficiência deste nutriente é muito comum mesmo para quem come alimentos de origem animal.

Leia mais sobre                             aqui no site.

O plano alimentar vegetariano se baseará sem leguminosas (feijões, grão de bico, lentilhas), cereais integrais e sementes (linhaça, chia, semente de girassol e abóbora) e é claro legumes e verduras. esta é a base de uma alimentação saudável!

Estes alimentos são fontes de proteínas que se completam, ou seja, quando se monta uma refeição com uma leguminosa, um cereal e uma semente, ou mesmo quando são consumidos em refeições separadas, os aminoácidos presentes em diferentes concentrações nestes alimentos, se equilibram, tornando a ingestão de proteínas completa.

Alimentação vegetariana e seus benefícios

A American Dietetic Association publicou seu parecer em 2009 o qual dizia  que "Dietas vegetarianas apropriadamente planejadas, incluindo dietas veganas, são saudáveis, nutricionalmente adequadas, e podem promover benefícios a saúde na prevenção e tratamento de certas doenças. Dietas vegetarianas bem planejadas são apropriadas durante todos os estágios da vida, incluindo gravidez, lactação, infância, idade escolar e adolescência e também para atletas."

A alimentação vegetariana bem planejada agrega vários benefícios a saúde como, a maior ingestão de fitoquímicos, que são substâncias presentes nos alimentos vegetais que atuam como antioxidantes, anti-inflamatórios, cardioprotetores e outros.

Um Estudo de coorte prospectivo realizado com 135 mil indivíduos com idade entre 35 e 70 anos em 18 países, revelou que quanto maior era a ingestão de vegetais menor era a taxa de mortalidade e ainda quando se consumia mais vegetais crus, maior ainda era a grau de proteção (THE LANCET, 2017).

Diversos trabalhos mostram que indivíduos vegetarianos tem menor nível de colesterol, triglicerídeos e glicemia, além de terem menor incidência de várias doenças como câncer, hipertensão, diabetes, síndrome metabólica e doenças cardiovasculares. Uma metanálise publicada em 2012 mostrou que os vegetarianos tinham 18% menor incidência de câncer, 29% menor mortalidade por doença cardíaca isquêmica e 16% menor por doenças circulatórias (Huang. et al, 2012).

O vegetarianismo atua fortemente como protetor contra o câncer, de acordo com o parecer da Organização Mundial de saúde publicado em 2015 a carne é o alimento mais cancerígeno existente, através do consumo de 100 gramas de carne não processada se aumenta em 17% o risco de câncer colorretal e a cada 50 gramas de carne processada (linguiça, salsicha, peito de peru, presunto...) sobe em 18% este risco.

VEGETARIANISMO E MEIO AMBIENTE

Alimentação vegetariana

Fique tranquilo que isto não iria acontecer, vamos aos porquês:

Primeiro que a humanidade nunca vai virar vegetariana da noite para o dia, isto será um processo que levará anos para se concretizar.

Só existem tantos animais assim no mundo porque eles são reproduzidos de modo não natural, as vacas são fecundadas nas industrias e os animais manipulados para sua reprodução e abate de acordo com a DEMANDA de vendas de seus produtos. Imagine uma fábrica de chinelos, se a fábrica vende 10 mil pares por mês ela vai se programas para fabricar e ter disponível para venda todo mês os 10 mil pares, porém se as pessoas começarem a preferir botas ao invés de chinelos, o que vai acontecer é que as vendas vão começar a cair aos poucos, e logo a fábrica vai se programar para reduzir sua produção.

Seria da mesma forma com a pecuária, se as pessoas começarem a comer menos carne, eles vão reproduzir cada vez menos os animais, e a cada vez que a demanda for reduzindo, irão reproduzir menos e menos até não haver mais procura, o que encerraria as atividades da industria, e assim só restariam poucos animais.

Uso da água pela pecuária:

Observando o gráfico podemos notar que a pecuária usa diretamente tanta água quanto a população humana. Porém indiretamente acaba usando muito mais, pois destes 72% da irrigação de plantio, grande parte desse plantio vai para produção de ração animal.

Note também na imagem acima que 1 quilo de banana gasta menos de 500 litros de água para ser produzida enquanto 1 quilo e carne de boi gasta mais de 17 mil litros.

A partir destes dados fica claro que a pecuária gasta muito mais água que o uso humano, então a solução para economia de água no planeta não seria apenas fechar a torneira, mas aderir ao vegetarianismo.